Experiência e Expertise:
É disso que sua empresa precisa na hora de se comunicar bem com o mercado.

  • Fornecimento de Conteúdo Editorial
  • Desenvolvimento de Projetos
  • Pesquisa de Mercado
  • Material Impresso
  • Campanhas Publicitárias
  • Criação de Identidade Visual

Honda costura apoio político à Zona Franca de Manaus

Executivos da Honda e políticos na fábrica de Manaus: defesa armada dos incentivos da Zona Franca. Fabricante de motos defende modelo para gerar empregos e preservar a floresta amazônica

Executivos da Honda e políticos na fábrica de Manaus: defesa armada dos incentivos da Zona Franca. Fabricante de motos defende modelo para gerar empregos e preservar a floresta amazônica

 

A Honda aproveitou o evento em que comemorou o marco de 25 milhões de motos produzidas em sua fábrica de Manaus para costurar apoio político à Zona Franca da capital do Amazonas, onde a planta da fabricante opera desde 1976. O regime de isenção de impostos do polo industrial amazonense, estendido até 2073, vem recebendo críticas e corre o risco de perder efeito na proposta de reforma tributária em tramitação no Congresso Nacional.

Em evento na quinta-feira, 12, que reuniu três senadores – incluindo Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado –, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e vários políticos, a Honda demonstrou que tem apoio político importante para preservar os benefícios que usufrui na Zona Franca de Manaus. Todos os discursos apontaram para a defesa enfática do modelo de desenvolvimento regional aplicado no Estado, com isenção de impostos para compensar parcialmente as dificuldades logísticas da região – o abastecimento de suprimentos é feito por via aérea ou por muitos dias de barco pelo Rio Amazonas, por onde também a produção é escoada para os demais estados do País.

“A Zona Franca é um importante pilar para a indústria de motos no País e é um instrumento fundamental para o desenvolvimento humano sustentável da região. Cada emprego no polo industrial preserva a floresta da exploração predatória. Confiamos na qualidade do debate político para conciliar a reforma tributária com as conquistas desse modelo”, defendeu Issao Mizoguchi.

O presidente da Honda South America destacou que os incentivos oferecidos na região foram fundamentais para o sucesso da Moto Honda da Amazônia, hoje a maior fábrica de veículos do Hemisfério Sul, com capacidade para produzir mais de 1,3 milhão de unidades por ano – chegou a fabricar 1,7 milhão em 2011 e atualmente faz cerca de 800 mil/ano, dominando 80% do mercado nacional de motocicletas. Em 44 anos de atividades a planta recebeu investimentos que totalizam US$ 2 bilhões.

“Temos aqui um complexo industrial que vai muito além da montagem de motos, com uma estrutura verticalizada para produzir a maior parte dos componentes que precisamos, como rodas, fundidos, bancos e chassis, o que garante índice médio de nacionalização de 90% dos 24 modelos diferentes que fazemos aqui”, disse Mizoguchi. A unidade industrial ocupa área de 727 mil m2 e emprega 7 mil pessoas em diversas operações. A planta também recebe peças de 130 fornecedores externos, localizados em diversos estados.

POLÍTICOS SAEM EM DEFESA DA ZONA FRANCA DE MANAUS

Todos os políticos que discursaram depois de Mizoguchi fizeram coro à defesa da Zona Franca de Manaus. O governador amazonense Wilson Lima exaltou que o modelo de desenvolvimento regional é responsável pelo alto índice de 97% de florestas preservadas no Amazonas. Segundo ele, quem critica os incentivos tributários do polo industrial não conhece as vantagens que o programa trouxe.

“Faço um apelo aos senadores e deputados para preservar o modelo. Engana-se quem diz que não geramos impostos: em 20 anos a Zona Franca arrecadou R$ 160 bilhões ao governo federal; nós recebemos R$ 40 bilhões de volta. Só a Honda mantém 100 mil empregos na cadeia de produção. Não vamos abrir mão de um polo que é responsável por 82% das atividades econômicas do Amazonas, que se for extinto vai condenar o Estado à miséria”, afirmou Wilson Lima.

Alfredo Menezes, superintendente da Suframa, autarquia que administra a Zona Franca de Manaus, destacou que a melhor defesa do modelo de desenvolvimento regional aplicado no Amazonas são seus resultados. “É importante conhecer o exemplo de sucesso da Honda no polo industrial amazonense em meio às discussões da reforma tributária. Vamos nos empenhar em defender os incentivos concedidos aqui porque eles geram desenvolvimento”, afirmou.

Segundo Menezes, números preliminares indicam que em 2019 o Polo Industrial de Manaus apurou faturamento de R$ 105 bilhões, o maior em 32 anos, e foi responsável por 92 mil empregos diretos. O superintendente da Suframa sublinha que a Zona Franca é o pilar de sustentação econômica que fez o PIB do Amazonas crescer 4,61% no ano passado, quase cinco vezes mais que a média nacional.

No que depender do presidente do Senado, os apelos dos políticos e da indústria instalada em Manaus serão atendidos. “Os que atacam a Suframa desconhecem as dificuldades regionais de carência de infraestrutura. Aqui existe uma política regional de sucesso que preserva o meio ambiente e promove o desenvolvimento. Estamos atentos às propostas de reforma tributária e nos comprometemos a defender a Zona Franca, conte conosco na bancada para proteger esse modelo”, prometeu Davi Alcolumbre.

Fonte: Automotive Business

16/03/2020

Compartilhe...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this page