Para conhecer nossos projetos editoriais, clique na capa da publicação.


Ano XXIII
Dezembro 2018

Ano XXIII
Junho 2018

Ano XXI
Dezembro 2017
Edições Anteriores

Experiência e Expertise:
É disso que sua empresa precisa na hora de se comunicar bem com o mercado.

  • Fornecimento de Conteúdo Editorial
  • Desenvolvimento de Projetos
  • Pesquisa de Mercado
  • Material Impresso
  • Campanhas Publicitárias
  • Criação de Identidade Visual

Indústria de implementos rodoviários termina 2018 em alta

Vendas do setor crescem 49% ao atingir as 90,1 mil unidades

Vendas do setor crescem 49% ao atingir as 90,1 mil unidades

A indústria de implementos rodoviários fechou 2018 com resultado positivo ao reportar aumento de 49,1% das vendas na comparação com o ano anterior, segundo dados divulgados na quarta-feira, 9, pela Anfir, associação das fabricantes. Os números mostram que o volume do ano passado superou as 90,1 mil unidades, entre carretas e carrocerias leves.

“Estamos na rota certa para recuperarmos nossas perdas que não foram poucas”, declarou em nota o presidente da Anfir, Norberto Fabris.

A tendência vista ao longo de todo o ano passado foi mantida no fechamento do ano, com uma recuperação mais forte no segmento de pesados, que inclui reboques e semirreboques. O segmento foi fortemente impulsionado pelo agronegócio, que se manteve aquecido durante o período. Os emplacamentos somaram 44,6 mil unidades contra 24,9 mil de 2017, uma variação positiva de 79,2%.

Já no segmento leve, de carroceria sobre chassis, a Anfir avalia que o desempenho ficou aquém do setor pesado porque seus negócios dependem da economia nos centros urbanos. O índice de crescimento foi menor, de 28%, ao passar de 35,5 mil em 2017 para 45,5 mil em 2018.

Ainda de acordo com a entidade, as quatro quedas sucessivas de mercado causadas pela crise nos quatro anos terminados em 2017 resultaram em perdas que correspondem a cerca de dois terços da capacidade do mercado interno, considerando o volume de vendas apurado em 2013, quando os emplacamentos chegaram a 177,8 mil.

“Temos um longo caminho a ser percorrido até zerarmos as perdas que tivemos”, explica Fabris. “A recuperação não foi uniforme porque a economia nos centros urbanos não respondeu à altura do campo”, completou.

Fonte: Automotive Business

09/01/2019

Compartilhe...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this page