Para conhecer nossos projetos editoriais, clique na capa da publicação.


Ano XXIII
Dezembro 2018

Ano XXIII
Junho 2018

Ano XXI
Dezembro 2017
Edições Anteriores

Experiência e Expertise:
É disso que sua empresa precisa na hora de se comunicar bem com o mercado.

  • Fornecimento de Conteúdo Editorial
  • Desenvolvimento de Projetos
  • Pesquisa de Mercado
  • Material Impresso
  • Campanhas Publicitárias
  • Criação de Identidade Visual

Máquinas anotam alta de quase 40% neste início de ano

Tratores de rodas e colheitadeiras de grãos puxaram para cima os resultados do setor

Tratores de rodas e colheitadeiras de grãos puxaram para cima os resultados do setor

A venda de máquinas agrícolas e rodoviárias no primeiro bimestre somou 5,3 mil unidades e anotou alta de 38,4% sobre o mesmo período do ano passado. As colheitadeiras registraram alta de 68,8%, com mais de mil unidades repassadas das montadoras para as concessionárias. O maior volume permanece para os tratores de rodas. Foram 3,9 mil, 30,1% a mais na comparação interanual. Os números foram divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A análise por faixa de potência mostra que o maior aumento de venda de tratores de rodas ocorreu nos modelos menores, até 80 cavalos (57,2% de acréscimo). Normalmente eles são adquiridos pelos pequenos agricultores: “Cada vez mais eles vêm procurando linhas de crédito para aumentar sua produtividade, tanto que este ano o Pronaf foi insuficiente”, recorda o vice-presidente da Anfavea, Alfredo Miguel Neto. O executivo teme o período de transição entre o atual Moderfrota e novo, que em tese entrará em vigor no início do segundo semestre.

“O crédito disponível para o Pronaf já acabou, do Pronamp resta apenas 1,77% do total. O governo realocou R$ 470 milhões em crédito para o setor, mas isso cobre apenas um mês”, recorda Miguel Neto.

“Resta saber como acabará o ano-safra atual, que política o governo vai adotar para o plano 2019-2020 e se ele se tornará operacional em 1º de julho e não apenas em agosto”, diz o vice-presidente da Anfavea.

PRODUÇÃO E EXPORTAÇÕES

A indústria brasileira produziu no primeiro bimestre 6,4 mil máquinas agrícolas e rodoviárias, registrando queda de 3,3% na comparação com o mesmo período de 2018. A retração foi puxada pelos tratores de rodas, em que as 3,6 mil unidades montadas anotaram retração de 19%. A queda total da produção foi amenizada pelo crescimento de outros segmentos: tratores de esteiras, colheitadeiras e retroescavadeiras.

As exportações brasileiras recuaram 7,8% ao somar 1,6 mil unidades. A crise no mercado argentino prejudicou bastante os embarques de tratores de rodas (558 unidades, -15,5%). A queda total não foi maior por causa da exportação de 562 tratores de esteiras (+21,9). A demanda por essas máquinas continua aquecida na América do Norte.

Fonte: Automotive Business

11/03/2019

Compartilhe...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this page