Experiência e Expertise:
É disso que sua empresa precisa na hora de se comunicar bem com o mercado.

  • Fornecimento de Conteúdo Editorial
  • Desenvolvimento de Projetos
  • Pesquisa de Mercado
  • Material Impresso
  • Campanhas Publicitárias
  • Criação de Identidade Visual

Monotrilho da linha 15-prata volta a funcionar parcialmente no dia 23 de março em SP

Passageiros encontram a estação São Mateus da linha15-prata fechada por causa de problemas em trens do monotrilho Rivaldo Gomes/Folhapress

Passageiros encontram a estação São Mateus da linha15-prata fechada por causa de problemas em trens do monotrilho – Foto:  Rivaldo Gomes/Folhapress

 

A linha 15-prata poderá retomar a sua operação no dia 23 de março, em trecho parcial e horário integral, segundo informações da Secretaria de Transportes Metropolitanos, gestão João Doria (PSDB). Não foi divulgado quais estações serão reabertas.

A pasta afirma ainda, em nota, que a previsão para retomada integral, de forma absolutamente segura ao passageiro, tem a previsão para o dia 14 de abril, de acordo com Consórcio CEML e a Bombardier.

Os problemas no monotrilho começaram no dia 27 de fevereiro, quando a linha deixou de funcionar por conta de uma falha nos pneus que equipam os trens.

Segundo a companhia, “um único pneu de um jogo de rodas do trem da linha 15-prata se rompeu e a composição foi recolhida imediatamente para a manutenção. Ao longo dos testes realizados na linha neste fim de semana, o Metrô constatou a incidência de danos em outros pneus dos trens do monotrilho”, diz o texto.

De acordo com o Metrô, a frota foi inspecionada, além das vias e sistemas. A secretaria diz que o laudo da inspeção apresentado mostra que o run flat (dispositivo que ficam nas rodas e garantem a movimentação do trem em caso de anormalidade) poderia estar tocando nos pneus, danificando-os.

A Bombardier está analisando todo o conjunto de rodas de todos os trens, para que as partes e peças que colocam em risco o pleno funcionamento do trem possam ser substituídas. Outro problema apontado é a necessidade de intervenção na via para acabar com possíveis trepidações e assim evitar que haja risco de o run flat entrar em contato com os pneus.

A pasta informa que o consórcio CEML já iniciou as intervenções necessárias na via e está substituindo as partes e peças dos trens, de acordo com a chegada das mesmas no Brasil, para que a Bombardier possa liberar os trens para retornarem com segurança a operação.

Ônibus do sistema de emergência da SPtrans (Paese) foram acionados para atender os usuários entre as estações São Mateus e Vila Prudente das 4h40 à 0h e ainda estão em funcionamento.

Fonte: Folha de São Paulo

16/03/2020

 

Compartilhe...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this page