Experiência e Expertise:
É disso que sua empresa precisa na hora de se comunicar bem com o mercado.

  • Fornecimento de Conteúdo Editorial
  • Desenvolvimento de Projetos
  • Pesquisa de Mercado
  • Material Impresso
  • Campanhas Publicitárias
  • Criação de Identidade Visual

Na Fenatran, mercado brasileiro de caminhões volta a ser destaque global

Clima otimista toma conta do evento, que contou com forte presença de lideranças globais das fabricantes de veículos

Clima otimista toma conta do evento, que contou com forte presença de lideranças globais das fabricantes de veículos

Depois de altas vertiginosas e baixas profundas, o setor de caminhões parece se aproximar de acertar o passo com um crescimento mais sustentável. Ao menos é isto que demonstram as fabricantes de veículos para o segmento que participam da Fenatran.

O maior salão de transportes da América Latina acontece em São Paulo até 18 de outubro e espera 60 mil visitantes. Na segunda-feira, 14, Automotive Business conduziu a Fenatran Innovation Journey, uma visita guiada para mostrar o clima do evento, as tendências de mercado e as principais novidades apresentadas pelas fabricantes de caminhões.

OTIMISMO PARA AS VENDAS MESMO COM PIB RETRAÍDO

Há dois movimentos claros no evento. O primeiro deles é o otimismo com a expansão das vendas. Nas montadoras, a perspectiva de crescimento é unânime. Há os mais ambiciosos, como Ricardo Barion, diretor de vendas e marketing da Iveco, que apontou a expectativa de que o mercado brasileiro de caminhões cresça 15% em 2020. Por outro lado, tem quem identifique alguns riscos no horizonte. Este é o caso de Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz.

“Os dirigentes do País precisam fazer a sua parte para que o mercado continue a crescer, garantindo o expansão do PIB e as reformar necessárias para a retomada da confiança”, defendeu.

O crescimento esperado para a economia este ano é de modestos 0,87%. Apesar da forte correlação com o resultado do PIB, o mercado de caminhões não parece que vai se abalar no curto prazo mesmo com o aumento pífio do indicador. A trajetória de crescimento das vendas é reforçada pela Anfavea, associação que reúne as montadoras. A entidade avalia que o mercado de veículos pesados chegará a 123 mil unidades em 2018. Por causa da queda nas exportações para a Argentina, a produção deve avançar menos do que o esperado inicialmente, 8,2%, para 145 mil unidades.

MERCADO BRASILEIRO GANHA PROTAGONISMO GLOBAL

O segundo movimento evidente na Fenatran é que, com a melhora da performance do mercado, a indústria brasileira de caminhões voltou a atrair a atenção global – talvez até de forma inédita. Quase todas as fabricantes levaram lideranças mundiais para apresentar as novidades na Fenatran e reforçar publicamente a aposta no Brasil.

Ao contrário do que acontece no segmento de veículos leves, muitas soluções desenvolvidas para os caminhões localmente são destaque global das marcas. Este é o caso da Volkswagen Caminhões e Ônibus, que anunciou no evento os parceiros para a produção do e-Delivery no Brasil, o primeiro caminhão elétrico da organização, com um formato inédito de produção para a tecnologia no mundo.

A Mercedes-Benz também se destacou com o novo Actros, que conta com uma série de recursos desenvolvidos no Brasil e um pacote tecnológico generoso, com recursos como frenagem autônoma de emergência e, entre os opcionais, a substituição dos espelhos retrovisores por câmeras.

Acompanhe as principais novidades apresentadas pelas fabricantes de caminhões na Fenatran:

DAF

Com só seis anos de operação no Brasil, a marca holandesa participa da Fenatran pela quinta vez. A empresa aproveitou o evento para anunciar investimento de R$ 100 milhões em um centro de distribuição de peças. Entre os produtos, a novidade é o CF85, com chassi rígido.

Iveco

Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina, abriu a coletiva de imprensa da companhia anunciado que, depois de um período de recuo de participação de mercado, o plano é enfim recuperar espaço nas vendas a partir de agora.

Uma das apostas para isso é a nova linha Daily de comerciais leves. A gama de furgões e vans ganhou novo design, mais eletrônica embarcada, controles de tração e estabilidade, além de modo de condução com mais economia de combustível.

Mercedes-Benz

A Mercedes-Benz é responsável por uma das grandes novidades da Fenatran: o novo Actros. O extrapesado foi lançado recentemente na Europa e teve desenvolvimento próprio para o Brasil. A companhia já abriu os pedidos para o modelo e, inclusive, vendeu a primeira unidade. As entregas, no entanto, só começam a ser feitas no começo de 2020.

O veículo foi anunciado por Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz no Brasil, com o “primeiro caminhão digital do País”. O desenvolvimento da novidade consumiu parte importante do investimento de R$ 2,4 bilhões anunciado pela montadora para o período 2018-2022.

Peugeot e Citroën

A coletiva de imprensa do Grupo PSA foi a única conduzida por uma mulher: Ana Theresa Borsari, diretora geral das marcas. Ela anunciou uma ofensiva no mercado de veículos utilitários com a ambição de conquistar a liderança do segmento. A companhia apresentou na feira as versões minibus de Peugeot Boxer e Citroën Jumper, cujas vendas iniciaram em setembro.

A executiva também confirmou a chegada da Free2Move no mercado de veículos profissionais, com soluções de telemetria e gestão de frotas. A marca oferece soluções de mobilidade na Europa, incluindo o compartilhamento de veículos.

Scania

A marca sueca reforçou no evento o propósito de liderar a transição para um modelo mais sustentável. “O transporte é responsável por 18% das emissões de CO2 do planeta. Se somos parte do problema, precisamos ser parte da solução”, declarou Mathias Carlbaum, chefe mundial da área comercial da companhia.

A Scania também anunciou que começa a receber na Fenatran os pedidos para caminhões a gás, que a empresa produzirá a partir de 2020 em sua fábrica de São Bernardo do Campo (SP). O projeto faz parte do investimento de R$ 2,6 bilhões que a empresa programou para o País entre 2017 e 2020.

Volkswagen Caminhões e Ônibus

O presidente da companhia, Roberto Cortes, apresentou a solução da companhia para produzir o primeiro caminhão elétrico do Brasil, uma versão do consórcio modular que reúne oito fornecedores: Bosch, CATL (fabricante chinesa de baterias), Moura, Semcon, Siemens, Weg, Meritor e Eletra. O modelo, em exibição no estande da marca, começa a ser fabricado em 2020, com as primeiras entregas previstas para o segundo semestre.

Volvo

A Volvo aproveitou o evento para anunciar a produção global de caminhões elétricos a partir de 2020, mas ainda sem previsão de chegada destes modelos no Brasil. A empresa mostrou em seu estande o The Iron Knight, caminhão mais rápido do mundo, com 2.400 cv e velocidade máxima de 276 km/h. Na prática, no entanto, a companhia apresentou pouca novidade para o mercado brasileiro: o principal lançamento é a série especial FH 40 anos, que comemora as quatro décadas de produção de veículos da marca no Brasil.

Fonte: Automotive Business

14/10/2019

 

Compartilhe...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this page