Experiência e Expertise:
É disso que sua empresa precisa na hora de se comunicar bem com o mercado.

  • Fornecimento de Conteúdo Editorial
  • Desenvolvimento de Projetos
  • Pesquisa de Mercado
  • Material Impresso
  • Campanhas Publicitárias
  • Criação de Identidade Visual

Vendas da Alstom crescem 2,48%, mas ficam abaixo do previsto

Alessia Pierdomenico/Bloomberg

                                                                                                                                                        Alessia Pierdomenico/Bloomberg

A fabricante francesa de equipamentos e trens Alstom informou nesta quinta-feira que as vendas e as encomendas cresceram no terceiro trimestre do ano fiscal 2019/2020, encerrado em dezembro de 2019.

As vendas da empresa chegaram a 2,06 bilhões de euros, 2,48% acima do registrado no mesmo período de 2018. As encomendas passaram de 3,39 bilhões de euros para 3,56 bilhões de euros.

De acordo com a fabricante, o crescimento do número de pedidos se deve a uma demanda mais forte na Europa e na região Ásia-Pacífico. O mercado ferroviário está vivendo um momento positivo, especialmente devido ao crescimento das preocupações ambientais, disse o presidente da companhia, Henri Poupart-Lafarge.

A expectativa de analistas, contudo, era que os números seriam melhores. As encomendas ficaram 8% abaixo do consenso de mercado, e as vendas também foram um pouco menores do que o previsto, dizem os analistas do Citi. Segundo eles, o resultado pode afetar o comportamento das ações, mesmo com o apelo a longo prazo do tema do transporte de baixo carbono.

Após a divulgação dos números, as ações da empresa avançavam 0,16% nesta manhã na bolsa de Paris, para 44,26 euros.

Como meta de médio prazo, até o ano fiscal de 2023, a empresa estima que suas vendas cresçam cerca de 5% anualmente, enquanto o lucro ajustado antes de juros e impostos avance algo em torno de 9% a cada ano.

A Alstom afirmou que o ano fiscal de 2020 será um ano de estabilização do crescimento e que o avanço das vendas e das margens deverá ser menor do que as metas estabelecidas para médio prazo.

Fonte: Valor Econômico

16/01/2020

Compartilhe...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this page