Experiência e Expertise:
É disso que sua empresa precisa na hora de se comunicar bem com o mercado.

  • Fornecimento de Conteúdo Editorial
  • Desenvolvimento de Projetos
  • Pesquisa de Mercado
  • Material Impresso
  • Campanhas Publicitárias
  • Criação de Identidade Visual

Vendas de caminhões seguem em alta; ônibus têm leve baixa

Em janeiro os emplacamentos de veículos pesados de carga cresceram 3,66%

Em janeiro os emplacamentos de veículos pesados de carga cresceram 3,66%

As vendas de caminhões continuaram em alta no início do ano. Conforme números divulgados pela Fenabrave na terça-feira, 4, as 7.186 unidades emplacadas em janeiro representaram crescimento de 3,66% sobre o mesmo mês de 2019. Houve queda de 13,7% na comparação com dezembro, o que é comum acontecer nesta época do ano em que as negociações de compra de caminhões costumam desacelerar por causa do período de férias.

A associação dos concessionários manteve a projeção feita em janeiro, que estima em 126 mil unidades as vendas de caminhões em 2020, em novo e robusto crescimento de 24% na comparação com o ano anterior – após elevada expansão de 33% em 2019 sobre 2018. Segundo Sergio Zonta, vice-presidente da Fenabrave representante dos concessionários de caminhões e ônibus, este ano é esperada recuperação de todos segmentos de veículos pesados de carga.

“Além dos caminhões pesados, outros segmentos devem crescer este ano. O agronegócio deve continuar forte e os esperados investimentos no setor de infraestrutura vão acelerar o setor de construção civil e demandar novos veículos”, afirma Sergio Zonta.

PEQUENA QUEDA EM ÔNIBUS

As vendas de 2.153 ônibus em janeiro representaram leve retração de 2,23% sobre o mesmo mês de 2019 e recuo de 13,2% na comparação com dezembro passado.

“É uma retração normal do segmento de ônibus nesta época do ano, quando não há entregas de veículos do [programa] Caminho da Escola e nem de modelos urbanos”, explica Zonta.

Fonte: Automotive Business

04/02/2020

Compartilhe...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this page